O Parlamento Suíço – Bundeshaus

O Palácio Federal, sede do parlamento e do governo suíço, é considerado um dos edifícios mais importantes da Suíça. Para quem gosta de política e quer saber como funciona o Governo Suíço, esta aqui um super Post. Senta que lá vem textão!

shutterstock_90666448.jpg

A Curia Confederationis Helveticae, esse é o nome em latin, alemão: Bundeshaus, francês: Palais fédéral, italiano: Palazzo federal, ou seja, é o edifício do Parlamento da Confederação Suíça. Foi construído entre os anos de 1894 e 1902. O arquiteto responsável foi Hans Wilhelm Auer, natural de St. Gallen e envolveu a participação de 173 empresas e 38 artistas suíços. Os materiais utilizados na construção provém 95% da Suíça e simbolizam, assim, a diversidade do país e do seu povo.

A intenção do arquiteto na concepção do edifício do Parlamento era replicar, no sentido figurativo, toda a Suíça. Ele elaborou um plano de imagens e imagens simbólicas que abrange três grandes temas: a história da nação baseada em mitos fundamentais, os fundamentos constitucionais e as virtudes gerais do estado e a diversidade cultural, política, geográfica e econômica da Suíça.

A fachada norte do edifício do Parlamento vista de frente encontram-se três estátuas da autoria do escultor do cantão de Vaud, Rodo de Niederhäusern, que simbolizam a independência política (ao meio), o poder executivo (à esquerda) e o poder legislativo (à direita). Os grifos, da autoria do artista plástico ticinense Anselmo Laurenti, representam a força (à direita) e a inteligência (à esquerda). As pedras de remate sobre as portas (de autoria de Maurice Hippolyte Reymond de Genebra) simbolizam a coragem, a sabedoria e a força. Nos nichos encontram-se duas alegorias do artista de Genebra, James André Vibert: à esquerda, a liberdade, representada por uma corrente rompida, e à direita, a paz, com uma espada na sua bainha. AS duas figuras de bronze de Maurice Hippolyte Reymond lembram que a história se escreve tanto no passado (à esquerda) como no presente (à direita).

A sala da cúpula por dentro do edifício do Parlamento é um verdadeiro monumento nacional. A sala da cúpula tem a forma de uma cruz (da cruz suíça). A escadaria da entrada principal conduz ao grupo de estátuas dos Três Confederados da autoria de James André Vibert (Genebra). Os três Confederados, Walther Fürst do cantão de Uri, Werner Staufacher do cantão de Schwyz e Arnold von Melchtal do cantão de Unterwalden personificam o juramento do Rütli de 1291 e o grupo de estátuas pesa, no seu conjunto 24 toneladas.

A história da Suíça propriamente dita começa dia 1 de agosto de 1291, com os habitantes de Uri, Schwyz e Unterwalden e uniram-se para manter a paz e para poder defender melhor suas liberdades contra possíveis invasões de fora, contra os Habsburgos da Austria, através da Bundesbrief (Carta de Aliança). A união destes três cantões era denominado Waldstätte. (fonte Wikipedia). A importância se deu porque foi a partir daí que houve uma aliança e o começo da formação do estado helvético tal como ele é hoje.

IMG_8691
Entrada principal com os Três Confederados e os Quatros soldados rasos.

Os quatros soldados rasos, que se encontram em pilares da escada, representam os guardas de honra dos “Três Confederados”. Os soldados rasos representam as quatro partes do país bem como as quatros regiões linguísticas: à frente à esquerda (vista do ângulo da entrada principal) encontra-se a parte alemã da Suiça (63, 5%), à esquerda, a parte francesa, a Romandia (20, 4%), atràs à esquerda, vemos a Suíça romance (0,5%), e atrás à direita, a parte italiana do país (6,5%). Não existe, todavia, nenhuma representação das outras línguas que são faladas por cidadãos de origem estrangeira (9%).

As quatro grandes janelas em arco, logo abaixo da cúpula, representam nos vitrais pintados por quatro artistas suíços as quatro atividades econômicas ou indústrias principais da Suíça no ano de 1902. A leste temos a pintura representando a indústria têxtil na região do lago de Zurique; a norte, nas margens do rio Reno, temos o comércio e os transportes do cantão de Vaud; a oeste temos a indústria metalúrgica nas colinas do Jura e ao sul temos a agricultura junto ao maciço do Jungfrau nos Alpes Bernenses.

No zênite da cúpula de vidro encontra-se um mosaico com a Cruz Suíça do atelier do artista inglês do cantão de Neuchatel, Clement Heaton. A inscrição em latim “Unus pro omnibus – Omnes pro uno – (um por todos e todos por um) é o lema do sistema político aqui representado. As duas imagens femininas são gênios da liberdade. Os 22 brasões dos cantões da Suíça foram criados por Albert Lüthi (de Zurique) em 1902 e estão dispostos em vitrais ao redor do mosaico. As armas do cantão do Jura, que foi fundado apenas em 1978, têm o seu lugar no arco, acima dos três Confederados.

IMG_8683
Um por todos e todos por um! e os 22 brasões dos cantões.

O Parlamento suíço é composto por duas câmaras dotadas com as mesmas competências: O Conselho de Estado (Ständerat) composto por 46 deputados, que são 2 representantes por cantão, 1 representante por cada antigo meio-cantão) e o Conselho Nacional (Nationalrat), composto por 200 membros, que representa o povo suíço (proporcionalmente ao número de habitantes dos cantões). O Conselho de Estado e o Conselho Nacional são eleitos pelo povo para um mandato de quatro anos (legislatura). É aí que as leis da Suíça são elaboradas, apesar de, na Suíça, o povo ter a palavra final como soberano supremo (referendo, iniciativas).

A Sala do Conselho de Estado: o fresco de Albert Welti, de Zurique, e de Wilhelm Balmer, de Basileia, representa uma comunidade rural (Landsgemeinde) no cantão de Nidwalden no século XVIII. A comunidade rural é a forma original da democracia direta suíça, uma votação a céu aberto, que existe até hoje nos cantões de Appenzell Innerhodel e Glarus. Os dois artistas plásticos retrataram nesta cena rostos de habitantes dos cantões de Obwalden e Nidwalden, integrando o mais tarde no fresco aqui em Berna. O enorme lustre em ferro forjado de Ludwig Schnyder von Wartensee de Lucerna abriga 208 lâmpadas e tem um peso de 1,5 toneladas. Este lustre funcionou com eletricidade desde a sua instalação  (1902), tendo sido praticamente um dos primeiros modelos elétricos e uma modernidade para a época. As três grandes janelas em arco estão decoradas com cortinas confeccionadas com renda de St. Gallen. Os anos em ouro nos tímpanos dos arcos servem para relembrar acontecimentos importantes da história da constituição suíça. Ao lado das portas que conduzem ao camarote de honra encontra-se uma lista cronológica destes acontecimentos.

IMG_8700
Sala do Conselho de Estado (Standerat) e o enorme lustre em ferro forjado

Em contraste com a maioria dos outros países com um sistema bicameral, ambas as câmaras estão alojadas sob o mesmo teto.

O Governo suíço é composto por sete Conselheiros Federais, representando vários partidos políticos. Esta coligação exige um grande compromisso e respeito recíprocos, mas também garante a estabilidade política da Suíça. Os membros do Conselho Federal não estão submetidos a nenhuma hierarquia entre si. Cada um é responsável por um departamento (ministério). Os Conselheiros Federais são eleitos pela Assembleia Federal (ambas as câmaras) para um mandado de quatro anos. Todos os anos, no mês de dezembro, ocorre a eleição de um Conselheiro que virá a ocupar o cargo de Presidente Federal nos próximos doze meses. Este preside, como “primus inter pares” (primeiro entre iguais) as reuniões semanais do governo e assume a representação oficial do país em eventos no país e estrangeiro.

Sala do Conselho Nacional: o quadro do artista de Genebra, Charles Giron, oferece uma vista do Lago dos Quatro Cantões mostrando o “berço da confederação” o Rütli, um prado em primeiro plano na parte inferior do quadro. Foi neste prado que os três Confederados se encontraram em 1291 e, sob juramento, fundaram a Suíça. Em segundo plano do quadro, encontram-se ambos os Picos Mythen e a povoação de Schwyz. Na nuvem branca sobre o lago encontra-se o Anjo da Paz, segurando um ramo de oliveira dourado. No nicho à esquerda do quadro encontra-se o herói nacional Guilherme Tell, símbolo da liberdade política e da ação, aqui da autoria do ticinense Antonio Chiattone. No nicho à direita do quadro e da autoria do seu irmão Giuseppe, está representada Gertrud Stauffacher, o símbolo da boa ideia. Acredita-se que tenha sido ela a sugerir que as aldeias dos vales de Uri, Schwyz e Unterwalden viessem a unir-se numa aliança. Gertrud era a esposa de um dos três Confederados. Sobre a pintura há uma borda que decora toda a sala e representa 59 armas dos municípios mais importantes da Suíça por volta de 1902. Assim, fica também representado o aspeto político dos municípios.

img_8711
Sala do Conselho Nacional permitida para 200 membros

A sala do Conselho Nacional acolhe igualmente as reuniões da Assembleia Federal (ambas as câmaras), da comissão eleitoral para eleger o governo (o Conselho Federal), os juízes federais, o chanceler federal e – em caso de guerra –  o general. Na parede traseira da sala encontram-se 44 cadeiras reservadas aos conselheiros de estado, cada qual sob as armas do seu cantão. Os encostos destas cadeiras foram concebidos pelo alemão Ferdinand Huttenlocher e estão ornamentados de forma artística com entalhes de flores e animais locais. Para acolher os conselheiros do cantão de Jura, criou-se um lugar no ano de 1978 sob as tribunas dos diplomatas, na parte oeste da sala. Sobre as duas cadeiras, encontra-se o relevo em bronze “O Despertar de um Povo” da autoria de Camillo Huber do cantão de Solothurn.

img_8812
Renata para presidente! 🙂 Quem vota sim?

A Sala dos Passos Perdidos mede 44 m de comprimento e, com sua forma em arco, deixa a impressão de ser mais longa. Nesta sala, os membros dos conselhos discutem e reúnem-se durante as sessões, dão entrevistas e recebem também os lobistas e visitantes do público. Além disto, esta sala tem finalidades representativas; assim, por exemplo, é aí que ocorrem as recepções oficiais do Conselho Federal e a recepção oficial do Ano Novo dos Presidentes da Confederação. As pinturas do teto são obra do artista ticinense Antonio Barzaghicataneo. Na fileira central dos medalhões de teto principal do estado: a verdade, a sabedoria o patriotismo, a prosperidade, a caridade e a justiça.

IMG_8718
Pintura da justiça na Sala dos Passos Perdidos

As pinturas da parte interior e exterior representam os setores mais importantes do comércio e da indústria daquela época, bem como as atividades pelas quais o nosso país era conhecido em 1902. Na parte interior: o ofício de ferreiro, a confecção de calçado, o turismo a panificação e a contrição civil; na parte exterior: as ciências naturais, a arte, a educação, a agricultura e a indústria relojoeiro e de jóias.

As visitas são de graça e acontecem quando os políticos não estão em sessão obviamente, e em dias alternados, nos idiomas alemão, francês e inglês, mais detalhes também no próprio site do Parlamento. A busca é grande, então vale a pena se informar de antemão e se preciso, agendar com antecedência, pois os grupos não são grandes.

Por coincidência essa semana acabei indo duas vezes na mesma semana ao parlamento, a primeira foi com a turma da escola onde estou estudando, o tema agora é política então o Parlamento não podia ficar de fora e o segundo tour foi organizado pela Deborah Biermann, uma tradutora e intérprete aqui de Berna, que é responsável pelo Brasil Infos, uma plataforma informativa com forum e dicas interessantes para a comunidade Brasileira. Então o tour dura 1 hora e o que eu fui era com a guia do próprio Parlamento que foi dessa vez em Português, o que foi sensacional.

Gostaria de deixar também aqui nesse Post essa foto que fiz e que acabou sendo selecionada entre as 100 melhores fotos de Berna de 2017 no site de Turismo de Berna, e saiu também no jornal suíço online 20min.ch

RE1_1637-2

Quer uma visita guiada? Mande-me um e-mail para: renataphotos10@gmail.com

Se você sabe mais alguma curiosidade da Suiça deixe aqui seu comentário. Dúvidas e mais perguntas tentarei responder. Em breve mais sobre o que visitar em Berna. 😉

Para quem quiser tem também esse vídeo que tem no site do próprio parlamento.

3 comentários sobre “O Parlamento Suíço – Bundeshaus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s